domingo, 24 de junho de 2012

Um pedido de casamento na Barra do Jucu

O auditório da Brisa na Barra Pousada, na Barra do Jucu, atraiu muita gente interessada em ver a comédia Um pedido de casamento, de Anton Tchekhov, apresentada pelo Teatro da Barra/ES.


Mais uma interpretação bem sucedida dos atores Diogo Monteiro, Dulce Lodi e Paulo DePaula, que arrancaram bons risos da plateia.

Acompanhe a seguir alguns trechos da apresentação.

video

domingo, 17 de junho de 2012

Teatro da Barra/ES com Um pedido de casamento na Barra do Jucu

Próxima sábado, dia 23 de junho de 2012, o Teatro da Barra/ES apresentará a comédia Um pedido de casamento na Brisa na Barra Pousada, Barra do Jucu, em Vila Velha. A peça terá início às 20 horas e será aberta ao público.

Natália (Dulce Lodi), Chubukov (Paulo DePaula) e Ivan Lomov (Diogo Monteiro)

Escrita pelo dramaturgo russo Anton Tchekhov (1860 – 1904), Um pedido de casamento se passa num ambiente tipicamente rural, em que ter posses é algo valioso e digno de disputas. Os personagens mudam seus ânimos rapidamente, à menor menção sobre um bem, móvel ou imóvel. E as discussões travadas em Um pedido de casamento se dão justamente quando o hipocondríaco Ivan Lomov está na casa do viúvo Chubukov para pedir a mão de sua filha, Natália, em casamento.  Chubukov é um senhor muito turrão e Natália herdou o temperamento do pai. Lomov também não dá o braço a torcer.

Prestigie!
Peça de teatro Um pedido de casamento, de Anton Tchekhov, com o Teatro da Barra/ES.
Quando: dia 23 de junho de 2012 (sábado), às 20 horas.
Onde: Brisa na Barra Pousada, Rua Ana Penha Barcelos, 52, Barra do Jucu, Vila Velha - ES.
Apresentação gratuita e livre para todas as idades.

Ficha técnica:
Autoria: Anton Tcheckov
Direção: Paulo DePaula
Elenco: Diogo Monteiro, Dulce Lodi e Paulo DePaula
Cenário: Paulo DePaula
Figurino: Zeiza Jorge
Assessoria de comunicação: Roberta Soares

Mais informações:
Cel.: (27) 9917-2672

sexta-feira, 8 de junho de 2012

Auto do Túmulo de Anchieta nos Passos de Anchieta


A apresentação da farsa Auto do Túmulo de Anchieta atraiu andarilhos dos Passos de Anchieta, moradores da Barra do Jucu e visitantes do balneário na Praça Pedro Valadares, na Barra do Jucu, durante o primeiro dia da caminhada que homenageia o beato que se referia ao Espírito Santo como “Nossa Terra”.


Foi mais uma experiência motivadora para todos os participantes do grupo Teatro da Barra/ES.

Teatro da Barra/ES e Banda de Congo Tambor de Jacaranema

terça-feira, 5 de junho de 2012

Teatro da Barra/ES apresenta Auto do Túmulo de Anchieta

No primeiro dia da edição 2012 dos Passos de Anchieta, dia 07 de junho (quinta-feira), o Teatro da Barra/ES irá recepcionar os andarilhos na Barra do Jucu com a encenação da peça Auto do Túmulo de Anchieta. Será na Praça Pedro Valadares, a partir das 15 horas.

Escrita por Luiz Guilherme Santos Neves e sob direção de Paulo DePaula, o Auto do Túmulo de Anchieta é uma farsa, com um estilo literário semelhante ao do dramaturgo português Gil Vicente (1465 - 1536).


A peça se desenrola com a apresentação de um edital para preencher vagas no túmulo vazio de Padre José de Anchieta. A mestra de cerimônia, denominada Cidade de Vitória, convoca uma comissão de notáveis (Maria Ortiz, Frei Pedro Palácios e Mestre Álvaro) para avaliar os concorrentes (entre eles um trabalhador rural sem-terra, uma socialite e um traficante). E os candidatos, por sua vez, têm que apresentar currículo que comprove suas virtudes.

Auto do Túmulo de Anchieta é rica em humor e situações inverossímeis, características típicas da farsa.

Personagens: Cidade de Vitória (Mestra de Cerimônia), Mestre Álvaro, Maria Ortiz e Frei Pedro Palácios (Comissão de Notáveis) e candidatos (Sem terra, Garota de programa, Político, Magistrado, Delegado de Polícia, Socialite, Penetra, Desfiadeira de Siri, Paneleira, Mestre de banda de Congo).

Do autor

Em 1609, o padre José de Anchieta, falecido na aldeia de Reritiba, hoje cidade de Anchieta, teve seu corpo removido no ombro de índios para a vila de Vitória, onde foi sepultado num túmulo na igreja de São Tiago, hoje palácio Anchieta.

Logo depois, seus despojos foram retirados do túmulo e enviados para a Bahia. No Espírito Santo ficaria apenas uma tíbia, ainda conservada num estojo no museu da igreja de Nossa Senhora da Assunção, fundada pelos jesuítas em Anchieta. Desde então o túmulo do beato manteve-se vazio, mas conservou sua tradição de monumento histórico, patrimônio cultural do Estado do Espírito Santo.

Este auto tem como inspiração o nobre túmulo de Anchieta, embora tratado com um toque de farsa amena e risonha. Mas eu diria que também com um toque de carinho, sendo, pois, uma farsa amorável.

Luiz Guilherme (Vitória, 18 de outubro de 2005)

Ficha Técnica
Autor: Luiz Guilherme Santos Neves
Diretor: Paulo DePaula
Elenco: Dulce Lodi, Marilena Soneghet, Márcio Filgueiras, Jaime Nilson, Homero Galvêas, Roberta Soares, Diogo Monteiro, Pedro Cogo, Edna Wigner, Fabbyo Leão, Anita Bonadiman, Luan Silva e Paulo DePaula.
Participação: Banda de Congo Mirim Tambor de Jacaranema
Figurinos: Zeiza Jorge

Prestigie:

Auto do Túmulo de Anchieta
Local: Praça Pedro Valadares, Barra do Jucu, Vila Velha.
Dia 07 de junho de 2012 (quinta-feira)
Horário: 15 horas
Livre para todas as idades

sexta-feira, 1 de junho de 2012

Teatro da Barra/ES na Fafi

O Teatro da Barra/ES esteve na Escola de Teatro Dança e Música Fafi, no dia 31 de maio de 2012 (quinta-feira), e apresentou a peça Um pedido de casamento, de Anton Tchekhov.


A maioria do público era composta por estudantes da própria instituição.


A peça provocou muitos risos, especialmente quando o viúvo Chubukov usava seu bordão – “e coisa e tal...”.  

Discussão de Natália (Dulce Lodi), Chubukov (Paulo DePaula) e Lomov (Diogo Monteiro)